quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Cadê as Poesias?


A Mesmice da televisão brasileira mim deixa bestificado, mudo de canal para canal
e só encontro as mesmas repetições, copias descaradas umas das outras. Esta semana em um momento poetico, procurei enfurecidamente por poesia na televisão, e nao encontrei, até nos canais fechados não tem poesia, mais tem BBB, tem a Fazenda, tem futebol, tem novelas e milhares de programas imbecies de auditorios.
É Fato, Poesia não da audiência, e é isto que importa para as TVs comercias,
mais nem nas TVs públicas eu encontrei poesia, o unico programa da Tv brasileira
que eu via e sentia poesia era o Provocações da Tv Cultura, nenhum outro mais. Um país rico culturalmente com poetas brilhantes, mais nao vemos estes brilhantes poetas nas Tvs brasileiras, Rubens Fonseca, Augusto dos Anjos, Clarice Lispector,
João Cabral, entre outros. Apartir desta semana darei mais atenção as poesias e seus respectivos poetas, vou publicar semanalmente poesias, para quem quiser lê-las, falar bem ou mal, nada melhor do que falar mal de algumas coisas.
Hoje irei comecar com dois poemas, um que ja tenho em minha cabeça a anos
cujo autor é o Manoel de Barros "A Poesia", e outro é o de Mario de Sá-Carneiro "Eu queria ser mulher".
Um Abraço e divirtam-se.

A Poesia

"A Poesia esta guardada nas palavras, é tudo o que eu sei, e o fado é não entender quase tudo sobre o nada eu tenho profundidade, eu não cultivo conexões com o real, para mim poderoso não é aquele que descobre o ouro, poderoso para mim é aquele que descobre as insignificançias do mundo e as nossas. Por esta pequena sentença mim elogiaram de imbecil, fiquei emocionado e chorei, sou fraço para eloigios."

"Eu Queria ser Mulher

Eu queria ser mulher para poder me estender ao lado dos meus amigos, nos cafés.

Eu queria ser mulher para poder passar pó de arroz pelo meu rosto diante de todos,nos cafés.

Eu queria ser mulher para não ter que pensar na vida...
Conhecer muitos velhos, a quem eu pedisse dinheiro.

Eu queria ser mulher para passar o dia inteiro falando de modas, fazendo fofocas, muito entretida.

Eu queria ser mulher para mexer nos meus seios, aguçá-los ao espelho antes de me deitar.

Eu queria ser mulher para que me fosse bem todos esses ílios. Esses ílios que no homem, francamente não se pode desculpar.

Eu queria ser mulher para ter muitos amantes, e enganá-los, a todos, mesmo ao predileto.

Como eu gostaria de enganar o meu amante loiro, o mais esbelto, o mais bonito. Enganá-lo com um rapaz gordo, feio e de modos extravagantes.

Eu queria ser mulher para excitar quem me olha.

Eu queria ser mulher para poder me recusar."

Um comentário:

Camilla para os menos íntimos... disse...

depois tu fala de mim!
ótimo texto, com uma crítica ferrenha a reprodução inculta da mídia, que visa mais a audiência e convenhamos eles colocam o que o povo gosta, havera de ter uma reeducação no povo brasileiro e isso é pedir demais e nada conveniente para as grandes coorporadoras televisivas.

valeu pelas poesias que encantam seus leitores...
ótima semana... beijos no coração, axé Odara!